Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

O BE/Açores criticou hoje o “erro da autarquia” de Ponta Delgada na requalificação do Mercado da Graça, considerando que vai prejudicar “severamente” os comerciantes, na sequência da suspensão da obra devido à inexistência de projeto contra incêndios.

Em comunicado, o partido considera que a suspensão das obras no principal mercado de Ponta Delgada, nos Açores, é uma “história muito mal contada” e refere que, por via da deputada municipal Avelina Ferreira, foram pedidas “explicações” ao município liderado pelo social-democrata Pedro Nascimento Cabral.

“A deputada municipal do BE assinala que os comerciantes do Mercado da Graça serão severamente prejudicados por este erro da autarquia, ficando obrigados a continuar a trabalhar, por longos meses, em instalações provisórias”, lê-se na nota de imprensa.

Ainda segundo o Bloco, as instalações provisórias, localizadas num parque de estacionamento subterrâneo, têm “condições muito difíceis para os comerciantes e para os clientes, podendo levar, naturalmente, à redução da faturação”.

No requerimento, o BE questiona a autarquia sobre o “custo da adjudicação” do projeto contra incêndios e sobre o “novo prazo” previsto para a conclusão da obra.

Os bloquistas pretendem ainda saber qual “o custo adicional” da requalificação “decorrente da suspensão dos trabalhos” e se os comerciantes serão “compensados” por “esse erro a que são alheios”.

No sábado, a Câmara Municipal de Ponta Delgada revelou que suspendeu a obra de requalificação da cobertura do Mercado da Graça “por motivos de segurança”, devido à inexistência de projeto contra incêndios.

Em comunicado, a autarquia lembrou que a empreitada foi “da autoria e iniciada” pelo anterior executivo (também do PSD) e referiu que vai ser instaurado “um processo interno de averiguações para o apuramento de eventuais responsabilidades sobre o sucedido”.

A Câmara assinalou que “os comerciantes do Mercado da Graça estão desde outubro de 2021 a trabalhar de forma condicionada” devido à obra e, embora lhes tenha sido apresentada a possibilidade de deslocar o mercado para o Pavilhão do Mar, “a maioria optou por continuar a exercer a sua atividade comercial no mesmo local”.

Antes das eleições autárquicas de setembro de 2021, a Câmara de Ponta Delgada era liderada pela social-democrata Maria José Duarte, a terceira presidente do município no anterior mandato.

Em junho de 2020, a até então vice-presidente assumiu a presidência da câmara depois de Humberto Melo ter renunciado ao cargo por questões de saúde.

Humberto Melo havia, em março de 2020, sucedido a José Manuel Bolieiro, que saiu da autarquia para se dedicar em exclusivo à liderança do PSD/Açores, tendo, posteriormente, assumido a presidência do Governo dos Açores.

Pub