PUB

Entre 2009 e 2021 a EDA pagou à BENCOM 22 milhões de euros acima do valor aceite pela entidade reguladora para a compra de fuelóleo. O Bloco de Esquerda insiste que há um conflito de interesses nesta situação porque a EDA (detida em 39% pela Bensaude) pagou à BENCOM (detida a 100% pela Bensaude) valores muito acima do custo aceite pela ERSE.

Estes valores foram revelados pela ERSE, numa resposta a um requerimento do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda na Assembleia da República.

Confrontado com estes valores, o presidente do conselho de administração da EDA, ouvido hoje no parlamento dos Açores, por iniciativa do Bloco, reconheceu que de 2009 a 2020 o custo da compra de fuelóleo à BENCOM foi sempre acima do valor aceite pela entidade reguladora.

PUB

António Lima, deputado do Bloco, afirmou que estes dados mostram que a EDA e a Região têm sido fortemente penalizadas pelo preço pago pela compra de fuelóleo à BENCOM, que acaba por ser a única parte que sai beneficiada deste negócio.

O deputado salienta que esta situação deriva de um contrato de exclusividade entre a Região e a BENCOM, por ajuste direto, e que representa um custo total de 375 milhões de euros pagos pela EDA à BENCOM só entre 2013 e 2021, o que obriga a uma transparência total, e lamenta que o Governo Regional tenha escondido informação ao parlamento em resposta a dois requerimentos feitos pelo Bloco de Esquerda.

Pub