PUB

A Presidente do Município de Vila do Porto e o Vice-presidente da autarquia reuniram, em Lisboa, com o Presidente da Comissão Executiva da VINCI/ANA Aeroportos de Portugal, Thierry Ligonnièrerry, com o Secretário de Estado das Comunicações, Hugo Mendes, e com o Deputado do PS à Assembleia da República, Francisco César, com o objetivo de estabelecer consensos sobre a atual situação do Aeroporto Internacional de Santa Maria, no que diz respeito à sua reabertura entre as 21h30 e as 06h00.

“Enquanto Presidente da Câmara, neste momento, considero importante continuar a acompanhar este assunto relativamente à operacionalidade do Aeroporto Internacional de Santa Maria e demonstrar que estarei disponível para fazer parte de todas as eventuais soluções encontradas, incluindo, se necessário, a realização de parceria com a VINCI”, frisou.

Segundo Bárbara Chaves, “todas as entidades demonstraram-se conscientes dos constrangimentos e abertas ao diálogo para encontrar um caminho para a atual situação”, tendo a autarca salientado a importância socioeconómica desta infraestrutura para a ilha de Santa Maria, acreditando que poderá existir solução para colmatar a atual situação.

PUB

Recorde-se que, desde agosto do presente ano, após a VINCI decidir indeferir todos os pedidos de reabertura do aeroporto no período noturno, a Presidente do Município tem feito um acompanhamento muito próximo da situação, reunindo e oficiando entidades com competência nesta matéria.

Bárbara Chaves aproveitou a ocasião para reforçar, uma vez mais, que o foco não pode limitar-se ao número de passageiros desembarcados, salientando a importância do Aeroporto Internacional de Santa Maria no apoio à operação de escalas técnicas da Business Aviaton e de apoio de retaguarda em caso de emergência para a aviação comercial transatlântica, que, numa ilha com as características de Santa Maria, tem permitido sedear empresas de handling que geram postos de trabalho e recorrem a serviços na economia local.

Na reunião com Thierry Ligonnièrerry, para além da referência ao nível da posição geoestratégica que o Aeroporto Internacional de Santa Maria confere à própria empresa, foi ainda referido o processo de transferências do Parque Habitacional e demais infraestruturas de saneamento e rede viária para a Região, que libertaram a ANA desses encargos, tornando a privatização mais aliciante, mas que oneraram a Região em muitos milhares de euros ao longo dos últimos 10 anos.

“A história da aviação dos Açores está intrinsecamente ligada à história do Aeroporto de Santa Maria que, com todos os desafios, tem sabido posicionar-se neste segmento da Business Aviation, reforçando o potencial geoestratégico dos Açores na retaguarda dos voos transatlânticos, onde a periferia se assume como uma centralidade”, frisou a autarca.

“Os nossos esforços não cessarão até que seja encontrada e posta em prática uma solução que sirva Santa Maria e os marienses” reitera a presidente do município, Bárbara Chaves.

Pub