Azorina fecha o ano de 2018 com resultados positivos 

A AZORINA – Sociedade Gestão Ambiental e Conservação Natureza, SA, registou no exercício de 2018 uma melhoria muito significativa na sua performance financeira, verificando-se um aumento na ordem dos 110% do volume de negócios comparativamente a 2017, o que permitiu a inversão de um resultado líquido negativo em 2017 para um resultado líquido positivo em 2018 de cerca de 94 mil euros.

Esta situação permitiu que a empresa fechasse as suas contas com uma dívida a fornecedores muito abaixo da verificada nos últimos anos.

Comparativamente ao ano anterior, verificou-se uma melhoria dos principais indicadores financeiros dos quais se destacam aumento de 5% da Liquidez Geral, 4% da Autonomia Financeira e 2% da solvabilidade.

A Azorina, SA, tem por objeto principal a promoção e apoio à gestão integrada das áreas protegidas terrestres e marinhas, valorizando os recursos naturais e paisagísticos, a biodiversidade e geodiversidade do arquipélago, ativos fundamentais da Região.

Tem ainda por missão a promoção e apoio ao desenvolvimento de valências para a participação, informação, sensibilização, educação e formação dos cidadãos em matéria de ambiente, nomeadamente as integradas na Rede Regional de Ecotecas (9), Rede de Centros Ambientais dos Açores (20) e estruturas similares.

Relativamente à Rede de Centros Ambientais dos Açores, estes captaram cerca de 368 mil visitantes durante 2018, o que corresponde a um aumento substancial face aos últimos anos. Estes são locais onde se disponibiliza informação especializada sobre os valores ambientais a que se encontram associados, promovendo e regularizando a visitação nas áreas protegidas.

No caso concreto da Rede Regional de Ecotecas dos Açores, foram desenvolvidas mais de 1600 atividades com uma participação de cerca de 44 500 participantes, números que têm apresentado uma tendência crescente desde que a oferta educativa dos Parques Naturais foi implementada em pleno em 2014, contribuindo assim para uma cidadania ambiental mais ativa.

A estratégia de gestão das Redes de Centros Ambientais e Ecotecas efetuada de forma horizontal e articulada tem contribuído para uma maior interligação entre os espaços, para a existência de cooperação técnica, para a promoção e partilha de boas práticas, para o intercâmbio de materiais, de informação e discussão de questões relativas às temáticas dos diversos centros, resultando, assim, numa maior eficácia a nível de atuação, da gestão de pessoal e da gestão financeira.

No decurso de 2018, a Azorina, SA dedicou a maior parte dos seus meios e recursos ao desenvolvimento de ações que contribuíram para uma melhor proteção e valorização do património natural e florestal dos Açores, e da promoção e valorização dos Parques Naturais.