Pub

A Câmara Municipal de Ponta Delgada, presidida por Maria José Lemos Duarte, e a Associação Internacional de Colóquios da Lusofonia (AICL), presidida por Chrys Chrystello, assinaram hoje um memorando de entendimento para a organização, em 2022, do 36.º Colóquio da Lusofonia em Ponta Delgada.

O compromisso foi formalizado no final da Sessão de Abertura do 34.º Colóquio da Lusofonia, que decorre hoje e amanhã no Centro Natália Correia, em Ponta Delgada, com transmissão online na rede social Facebook (facebook.com/lusofonias.aicl).

“Os Colóquios da Lusofonia são uma oportunidade para a identificação de desafios comuns e sobretudo dos caminhos a seguir para a defesa e preservação do que melhor nos define e identifica”, afirmou Maria José Lemos Duarte, frisando que a organização desta iniciativa em Ponta Delgada é o “reconhecimento internacional da nossa vocação para acolher eventos com inquestionável prestígio social, cultural e científico”.

Pub

Com duas realizações anuais, uma em Belmonte e outra dedicada à açorianidade, o Colóquio da Lusofonia permite “celebrar, a partir de Ponta Delgada, cidade cosmopolita e aberta ao mundo, a riqueza de um território como lugar de autores, de literatura, de poesia de excelência e de um modo muito singular de olhar o Mundo”, disse.

Numa alusão ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que se comemora hoje, 10 de junho, a Presidente da autarquia destacou ainda o “contributo do nosso território insular, arquipelágico e atlântico para a valorização da comunidade de povos e nações que partilha a Cultura e a Língua portuguesas, isto é, para a Lusofonia”.

Segundo Maria José Lemos Duarte, “a universalidade da tradição literária e poética do concelho de Ponta Delgada, da ilha – destas nove pequenas grandes ilhas – as ilhas de Antero, Natália, Urbano, Vamberto Freitas, Dias de Melo, Eduíno de Jesus ou Álamo de Oliveira, só para citar alguns dos nossos autores, reforça a nossa dimensão global”.

Em Ponta Delgada, 2021 tem sido um ano “particularmente intenso na celebração da nossa identidade cultural” que “enriquece a Lusofonia”, observou, para referir o Prémio Literário Natália Correia e a candidatura de Ponta Delgada | Açores a Capital Europeia da Cultura 2027.

O Prémio Literário Natália Correia, apresentado em janeiro, foi instituído e é promovido pela Câmara de Ponta Delgada para homenagear e celebrar a poeta e escritora, de Ponta Delgada, enquanto “inspiração para a criação poética e literária na Língua Portuguesa”.

O Prémio, aberto a autores de todas as nacionalidades,e para o qual concorrem mais de 600 obras de autores, incluindo do espaço da Lusofonia, “tocados pela palavra de Natália Correia e pela nossa Língua comum”, marca o arranque das celebrações municipais do centenário do nascimento de Natália Correia que se assinala em 2023.

Também a candidatura de Ponta Delgada | Açores a Capital Europeia da Cultura 2027, anunciada este ano e que deve ser entregue até 23 de novembro, é a oportunidade não só para “partilhar com a Europa e com o Mundo” o nosso “diálogo com o universo dos autores açorianos”, mas também para “defender os valores europeus” como a cooperação entre os povos, porque “somos um concelho e uma Região de acolhimento de imigrantes de países lusófonos e esta interculturalidade será uma mais-valia para a nossa candidatura” de Língua Portuguesa.

Na sessão de abertura do 34.º Colóquio da Lusofonia estiveram presentes, além de Maria José Lemos Duarte e de Chrys Chrystello, o Presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro; a Vereadora da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo Nélia Guimarães; e o Presidente da Empresa Municipal de Promoção e Desenvolvimento Social do Concelho de Belmonte, Joaquim da Costa.

Pub