Autarca de Ponta Delgada valoriza via que liga freguesias de Santa Clara e Relva

O presidente da Câmara de Ponta Delgada inaugurou hoje a via marginal que liga as freguesias de Santa Clara e Relva, uma obra “complexa” devido ao “reforço da orla costeira” e existência de “infraestruturas subterrâneas”.

A complexidade da obra teve a ver, naturalmente, com o necessário reforço da orla costeira que fizemos, que é penoso e custoso e que foi feito e muito bem feito. Tem a ver também com as infraestruturas subterrâneas, desde logo os ‘pipelines’ de gás, combustível, além das comunicações e eletricidade e o importante reforço que fizemos em valorização do saneamento das águas pluviais”, afirmou José Manuel Bolieiro (PSD) aos jornalistas, à margem da inauguração.

A obra, além da construção da via litoral entre as duas freguesias, envolveu ainda as ruas 2ª. Rua de Santa Clara e Rua Baden Powell, ao nível dos passeios, iluminação pública e criação de zonas de estacionamento, abrangendo no total cerca 1,2 quilómetros.

Os trabalhos começaram em outubro de 2017, tendo sido apontado, então, um prazo de execução de 240 dias.

O atraso na conclusão não teve impactos financeiros, segundo o presidente da autarquia, numa obra que tem o custo de cerca de 2 milhões de euros, valor cofinanciando em 770 mil por fundos europeus.

“O atraso na obra não teve impacto [financeiro], teve foi outras complexidades que implicaram trabalhos a mais. Fizemos uma candidatura, adjudicação, na ordem 1,662 milhões de euros, depois tivemos de realizar, face à complexidade de outras obras suplementares, quanto ao saneamento que foi assumido pelos serviços municipalizados e outras adaptações, que andarão em volta de mais 300 mil euros”, assinalou Bolieiro, frisando que o custo da obra ficou “próximo dos dois milhões” de euros, tendo sido “indispensável o cofinanciamento comunitário”.

Durante as obras, existiu o cuidado de não perturbar a “missão quotidiana” dos cidadãos, sublinhou.

“Tudo isso foi feito com grande qualidade e acompanhamento. E não perturbarmos, desde logo, a própria vida da paróquia, quanto às suas festividades, e conseguimos fazer uma organização cronológica que permitisse compatibilizar tudo. Acresceu a dificuldade na sua execução o facto de não podermos impedir a continua circulação de transporte de mercadorias e pessoas”, apontou.

Durante o dia de hoje, além desta inauguração, também foi inaugurada uma obra de requalificação na Relva e visitada uma empreitada em duas ruas na mesma freguesia.

A proibição de realizar inaugurações durante o período eleitoral ditou esta agenda cheia após as eleições legislativas.

“Vamos fazendo as obras que servem as populações. E fizemo-lo durante este mandato e com as disponibilidades orçamentais. Houve um período eleitoral recente e nós cumprimos a orientação ética de em momentos eleitorais não fazer a respetiva inauguração”, destacou.

Na ocasião, e questionado pelos jornalistas, José Manuel Bolieiro, que tem vindo a ser apontando como candidato à presidência do PSD/Açores, recusou comentar questões relacionadas com a liderança do partido: “a pertinência da minha resposta, nesta data e nesta altura, seria inqualificável”, disse.