“Desde meio da tarde de hoje que há um incremento da atividade sísmica na Crista Média Atlântica marcado pela ocorrência de sismos com uma magnitude superior a quatro na escala de Richter, mas nenhum sentido pela população face à distância do arquipélago” daquela “região epicentral”, disse Teresa Ferreira, do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em declarações à agência Lusa.

Segundo a página na internet do CIVISA, o último evento sísmico na Crista Média Atlântica, uma estrutura geológica que atravessa o arquipélago dos Açores entre as ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) e central (Terceira, Pico, São Jorge, Graciosa e Faial), foi registado às 17:22 com uma magnitude 3.7 na escala de Richter.

O CIVISA informa ainda na sua página que foram registados na mesma zona outros quatro eventos sísmicos com magnitudes de 3.8 na escala de Richter, de 4.2, 3.7 e 4.3 entre as 16:53 e as 17:13.

Teresa Ferreira explicou que a Crista Média Atlântica “é uma estrutura ativa através da qual se dá a formação da nova crosta oceânica e estes processos têm associada atividade sísmica”, pelo que “é frequente serem registados sismos ao longo de toda a extensão”.

“A meio da tarde de hoje estamos a assistir a mais um episódio de um incremento da atividade sísmica num segmento da Crista Média Atlântica situado a norte do arquipélago”, acrescentou.

Teresa Ferreira referiu ainda que, na região dos Açores, a Crista Média Atlântica corresponde à fronteira de placas entre a placa norte-americana e as placas euro-asiática e africana.