Pub

“O Conselho de Administração tomará as devidas diligências, no sentido de defender o bom nome da ADFMA, nomeadamente junto das instâncias judiciais do foro cível e penal”, diz a associação em comunicado, referindo-se às “posições públicas” da ex-diretora Ana Rita Fraga, as quais “afetam a imagem institucional da entidade e colocam em causa a honorabilidade” dos seus membros.

A associação sublinha que Ana Rita Fraga, ex-diretora executiva da Escola do Mar, “não possui, desde o dia 11 de junho, qualquer relação jurídica com a ADFMA, em resultado do ato eleitoral que elegeu, por unanimidade, o atual Conselho de Administração”.

Segundo notícia da RTP/Açores divulgada na segunda-feira, a ex-administradora da Escola do Mar Ana Fraga, foi impedida de entrar nas instalações, tendo chamado a Polícia de Segurança Pública (PSP).

No mesmo dia, o BE/Açores questionou o Governo Regional sobre o afastamento da diretora da Escola do Mar e defendeu a audição do secretário do Mar e das Pescas no parlamento açoriano para prestar esclarecimentos sobre o assunto.

Em nota de imprensa, os bloquistas defenderam a necessidade de “esclarecimentos sobre os recentes acontecimentos na Escola do Mar, que levaram à demissão do anterior conselho de administração e ao afastamento da diretora executiva da Escola, que foi hoje impedida de permanecer nas instalações”.

Hoje, o secretariado de Ilha do PS/Faial manifestou preocupação com os constrangimentos colocados à Escola do Mar dos Açores na sequência da demissão do anterior conselho de administração e saída da diretora executiva.

“Esta situação, para além de colocar em causa a própria Escola do Mar, põe ainda em causa um desígnio estratégico do Faial, mas também dos Açores, dado que esta instituição constitui um elemento fundamental na estratégia de aproveitamento das potencialidades que o mar oferece à região, para além de contribuir para a dinâmica económica da ilha”, referiram os socialistas em comunicado.

“O Conselho de Administração da ADFMA lamenta, profundamente, as posições públicas assumidas pela Dra. Ana Rita Fraga. As mesmas afetam a imagem institucional da supramencionada entidade e colocam em causa a honorabilidade dos membros deste órgão”, disse hoje a entidade que gere a escola.

Pub