Dia Nacional da Agricultura permite evidenciar “uma das marcas da identidade açoriana”, afirma Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo destacou hoje a importância das comemorações do Dia Nacional da Agricultura, que se realizam quarta-feira na ilha de São Miguel, por permitirem sensibilizar crianças e jovens para um setor de atividade que é “uma das marcas da identidade” açoriana a vários níveis.

 

“Promover o contacto de crianças e jovens com eventos como este é importante também na perspetiva da nossa Região, porque estamos a falar de uma das marcas da nossa identidade, não apenas naquilo que tem a ver com o nosso passado, mas, sobretudo, com o nosso futuro”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo falava após ter visitado, acompanhado pelo Presidente da Associação Agrícola de São Miguel (AASM), Jorge Rita, o local onde vão decorrer, quarta-feira, as atividades do Dia Nacional da Agricultura, que contam com o apoio do Executivo açoriano e da Confederação de Agricultores de Portugal (CAP).

Esta iniciativa, promovida pela AASM, vai contar com a presença de cerca de quatro mil crianças e jovens, do 1.º ao 6.º ano de escolaridade, de escolas de todos os concelhos da ilha de São Miguel.

Após a visita, Vasco Cordeiro enalteceu a importância deste evento para dar a conhecer as várias vertentes da agricultura açoriana, não só enquanto atividade económica de grande relevância, mas também no que tem a ver com o turismo, através do “trabalho dos agricultores na manutenção e preservação da paisagem rural” da Região.

Segundo o Presidente do Governo, a edição deste ano do Dia Nacional da Agricultura, dedicada ao leite, apresenta uma temática que é particularmente importante para os Açores, constituindo, também por esta via, uma forma de “dar a conhecer a importância que esta atividade assume na Região e como ela nos posiciona no país”.

Depois de recordar que a Região é responsável por mais de 30 por cento do leite e cerca de 50 por cento do queijo produzidos em Portugal, Vasco Cordeiro considerou que esta área apresenta desafios ligados ao preço pago aos produtores e ao próximo quadro comunitário.

“Há, certamente, desafios, mas com iniciativas com esta estaremos muito mais sensibilizados para a importância desse setor para a economia e para a vida da Região”, sublinhou Vasco Cordeiro, ao destacar ainda o facto de os Açores serem a região do país com a média de idade dos agricultores mais baixa.