Artistas revisitam “On the road”, de Jack Kerouac, nos Açores, 60 anos depois

Um grupo de artistas vai revisitar a obra “On the road”, de Jack Kerouac, através da guitarra, ‘vídeo-beat’ e vários efeitos, lendo sexta-feira excertos do romance no Centro de Artes Contemporâneas Arquipélago, nos Açores.

“O livro completou 60 anos da sua edição. Este é um espetáculo em homenagem através da música com palavra, narração e vídeo de Raquel Castro, com a guitarra do Tó Trips. É uma espécie de uma viagem, como o ‘On the road'”, disse à agência Lusa Tiago Gomes.

O romance é considerado a obra-prima de Jack Kerouac, classificado pela crítica como um dos principais expoentes da geração ‘beatnik’ dos Estados Unidos, tendo sido uma grande influência para a juventude dos anos 60, que colocava a mochila nas costas e se fazia à estrada.

O livro, autobiográfico, que foi adotado para o cinema, narra as viagens através dos Estados Unidos e México de Sal Paradise (Jack Kerouac), acompanhado de outra personagem, referindo Tiago Gomes que o projeto com este formato existe há 10 anos.

Tiago Gomes considera que o espetáculo “tem muito a ver com o imaginário da América e é uma homenagem a todos os autores que viajavam e escreviam” como Jack Kerouac, não escondendo que este era um percurso que gostaria de realizar pela sua vertente de inspiração, podendo até ser concretizado no país e nos Açores, por exemplo, bem como na Europa.

O cineasta Francis Ford Coppola ensaiou um projeto para um filme, que acabou concretizado em 2012, levado à tela pelo diretor brasileiro Walter Salles.

Na sequência da publicação do livro, que retrata uma viagem repleta de sexo, drogas e álcool, o escritor norte-americano foi considerado pela crítica literária dos mais controversos e famosos do seu tempo, embora rejeitasse o título de “pai dos beatniks”.