Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas recebe em abril o ‘Emergence Açores’ e o festival Tremor

A Direção Regional da Cultura, através do Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, na Ribeira Grande, acolhe, em abril, o ‘Emergence Açores’ e o Festival Tremor, para além de promover concertos, exposições e atividades desenvolvidas pela Biblioteca e pelo Serviço Educativo.

Na terça-feira, 2 de abril, a Biblioteca do Arquipélago assinala o Dia Mundial do Livro Infantil com a atividade “Histórias ao Quadrado”, destinada a crianças entre os 6 e os 12 anos.

Os participantes vão aprender a construir um conjunto de cubos, que geram histórias criativas, utilizando a técnica de ‘Roll-a-Story’.

Na quinta-feira, 4 de abril, pelas 21h30, a ‘Blackbox’ recebe o concerto “Terra e Mar” que junta a Orquestra de Sopros do curso profissional de Instrumentista de Sopro e Percussão da Escola Secundária Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, de Cinfães, e a Banda Militar dos Açores.

O último evento programado no âmbito do Ciclo Performativo do “Geometria Sónica” realiza-se sábado, 6 de abril, com dois concertos na ‘Blackbox’, nomeadamente “Dinner”- Banho de Som”, com Anders Rhedin, pelas 14h30, “Tra il cristallo e il fumo”, dos Rapeciâz, constituído pelos músicos Biagio Volandri, Gianna De Toni, Luís Couto e Luís Senra, pelas 15h30.

A sexta edição do Tremor regressa ao Arquipélago entre 9 e 12 de abril, período em que o Centro de Artes Contemporâneas acolher as Residências Artísticas de Pedro Lucas, We Sea, Cristóvão Ferreira, Natalie Sharp, Tapperwear e Lieven Martens, realizando-se, a 12 de abril, a partir das 22h00, quatro concertos em diferentes espaços do Arquipélago.

A oficina de continuidade, especial Páscoa, “Mãos ao Ovo”, regressa ao Arquipélago entre 9 e 12 de abril, com diferentes atividades para os mais novos, terminando, como já é habitual, com uma caça ao ovo pelas caves do Centro de Artes Contemporâneas.

A 14 de abril, a atividade especial de Páscoa “Explorar um Percurso” é destinada às crianças entre os dois e os seis anos e decorre entre as 15h00 e as 16h30.

Entre 14 e 18 de abril, o Arquipélago irá acolher o ‘Emergence Açores’, evento promovido pelo Governo Regional que tem como objetivo reunir cientistas, programadores, artistas, entre outros, para comunicarem conceitos complexos em pesquisa científica, tirando partido das tecnologias de media digitais.

A 23 de abril, a Biblioteca volta a assinalar o Dia Mundial do Livro com a atividade “Um Arquipélago de Livros”, destinada a alunos do 3.º, 4.º, 5.º e 6.º ano, e a utentes de Centros de Dia.

A partir da visita a um conjunto de cartazes alusivos à comemoração desta data e produzidos pela UNESCO, os participantes são convidados a partilhar histórias através da elaboração de um poster, recorrendo a diversos materiais.

A atividade do último domingo de abril, dia 28, será inspirada na exposição de fotografia “Além do que se vê”, de Sérgio Aires, patente no Arquipélago, e que decorre de uma parceria com a AFAA.

Durante o mês de abril continuam disponíveis, por marcação, as três atividades que o Serviço Educativo do Centro de Artes Contemporâneas preparou inspiradas nas obras apresentadas no 3.º Ciclo expositivo do Geometria Sónica, nomeadamente as oficinas “Explorar um Percurso”, para crianças entre os dois e os seis anos, “Criaturas em Plasticina”, para crianças entre os seis e os 12 anos, e “Chaminés do século XXII”, para maiores de 12 anos.

As inscrições para estas e outras atividades do Serviço Educativo devem ser feitas através do formulário disponível no sítio do Arquipélago na Internet, do email [email protected] ou do telefone 296 470 130.

Encontra-se também disponível para consulta naquele sítio o caderno-agenda de atividades do Serviço Educativo para 2018/2019.

Até 21 de abril, pode ser visitado o 3.º e último ciclo do “Geometria Sónica” que reúne os projetos artísticos das duplas Francisco Queimadela e Mariana Caló/Jonathan Uliel Saldanha e Pedro Tropa/Ricardo Jacinto, desenvolvidos em Residência Artística no Arquipélago, e uma seleção de vídeos do Arquivo Audiovisual da RTP.

Para além desta exposição, também a instalação do arquiteto Joaquim Morais Oliveira, denominada “Landmark”, desenvolvida em Residência Artística, pode ser visitada durante o mês de abril.