Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas apresenta mais de uma dezena de eventos em março

A Direção Regional da Cultura, através do Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, promove a realização de mais de uma dezena de eventos durante o mês de março, incluindo iniciativas no âmbito do Ciclo Performativo do “Geometria Sónica”, espetáculos musicais, exposições e atividades do Serviço Educativo.

A oficina “Pintura – A partir da Coleção”, desenvolvida pelo Serviço Educativo, terá lugar todos os sábados de março, sendo dado destaque em cada sábado a uma das cinco obras selecionadas da Coleção Arquipélago, que será trabalhada pelos participantes, através da pintura.

A 9 de março será destacada a obra “Sem Título”, de João Queiroz, a 16 de março a obra em destaque será “Camuflagem”, de Gil Heitor Cortesão, no dia 23 de março os participantes vão trabalhar a partir da obra “Sem Título (Anona)”, de André Laranjinha, e, a 30 de março, será dado destaque à obra “Sala de Cinema”, de Pedro Barateiro.

Durante o mês de março, estas obras estão em exposição no espaço do Serviço Educativo.

A 9 de março, pelas 14h30, o Arquipélago inaugura a exposição de fotografia de Sérgio Aires intitulada “Além do que se vê”, promovida em parceria com a AFAA – Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores, que inclui 20 fotografias a preto e branco.

No mesmo dia, no âmbito do Ciclo Performativo do “Geometria Sónica”, que tem curadoria do Tremor, o Centro de Artes Contemporâneas recebe, na ‘Blackbox’, pelas 21h30, a performance dos PMDS, um projeto de música eletrónica, ambiental, techno e experimental, com Pedro Sousa e Filipe Caetano.

O Arquipélago acolhe ainda, a 16 de março, pelas 21h30, também na ‘Blackbox’, o concerto “Uma Nova História com Música Portuguesa”, que junta uma das referências do clarinete nacional e internacional, Nuno Pinto, a Filarmonia – Fundação Brasileira.

No âmbito da programação do Ciclo Performativo do “Geometria Sónica”, o Arquipélago recebe ainda, a 22 de março, os HHY & The Macumbas, liderados por Jonathan Saldanha, artista que expõe no 3.º Ciclo do “Geometria Sónica”, e com João Pais Filipe, Brendan Hemsworth, Filipe Silva e Frankão na percussão, e André Rocha, Álvaro Almeida nos metais.

A 29 de março, Ricardo Jacinto apresenta “Medusa”, enquanto, a 31 de março, inserido na programação do Serviço Educativo deste Ciclo Performativo, terá lugar uma oficina de instrumentos musicais com materiais reciclados, com Biagio Volandri e Gianna di Toni.

Este workshop decorre entre as 10h00 e as 13h00 e entre as 14h00 e as 16h00 e, no final, os participantes apresentam uma performance na ‘Blackbox’.

A participação neste workshop está sujeita a inscrição, que deve ser feita através do email acacinfo@azores.gov.pt ou do telefone 296 470 130, estando as informações de bilheteira disponíveis em arquipelagocentrodeartes.azores.gov.pt.

Continuam também disponíveis, por marcação, as três atividades que o Serviço Educativo do Arquipélago preparou, inspiradas nas obras apresentadas no 3.º Ciclo Expositivo do “Geometria Sónica”, designadamente as oficinas “Explorar um Percurso” para crianças entre os 2 e os 6 anos, “Criaturas em Plasticina”, para crianças entre os 6 e os 12 anos, e “Chaminés do século XXII” para maiores de 12 anos.

As inscrições para estas e outras atividades do Serviço Educativo devem ser feitas através do formulário disponível no sítio do Arquipélago na Internet, do email acacinfo@azores.gov.pt ou do telefone 296 470 130.

Encontra-se também disponível para consulta no sítio do Arquipélago o caderno-agenda de atividades do Serviço Educativo para 2018/2019.

Em março, decorre ainda o terceiro e último ciclo do “Geometria Sónica”, que apresenta os projetos artísticos das duplas Francisco Queimadela e Mariana Caló/Jonathan Uliel Saldanha e Pedro Tropa/ Ricardo Jacinto, desenvolvidos em Residência Artística no Arquipélago, assim como uma renovada seleção de vídeos do Arquivo Audiovisual da RTP, que se encontra patente nas Células Artísticas até 21 de abril.

A instalação do Arquiteto Joaquim Morais Oliveira, intitulada “Landmark”, desenvolvida na Residência Artística em setembro de 2018, pode também ser visitada no espaço das Residências Artísticas.

Partilha