Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

A CDU juntou hoje à tarde mais de 1.000 jovens apoiantes num desfile pelas ruas de Lisboa e ao qual se juntou o dirigente comunista João Oliveira, que garantiu que apoiar a coligação não cai em “saco-roto”.

A Juventude CDU saiu à rua. Os mais de 1.000 jovens apoiantes da Coligação Democrática Unitária, que integra o PCP, Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) e a associação Intervenção Democrática, reuniram-se no Largo do Intendente, em Lisboa, e pouco depois das 14:30 arrancaram rumo ao Largo da Graça para o comício de final do sétimo dia da campanha para as eleições legislativas.

De máscaras e apetrechados com bandeiras vermelhas, brancas, azuis e verdes da coligação, e várias faixas onde era possível ler “Ao teu lado, Reforço da ASE, Fim da propina, Reversão do processo de Bolonha” ou “CDU o voto que conta pela valorização do ensino profissional, a Juventude CDU começou a desfilar pela Avenida Almirante Reis, interrompendo o trânsito no sentido Intendente-Saldanha.

Um grupo de cinco pessoas com tambores seguiu na dianteira do cortejo e os restantes jovens iam de punhos direitos no ar e a entoar palavras de ordem, como, por exemplo “Juventude CDU, voto eu e votas tu” ou “Propinas e Bolonha, é tudo uma vergonha”.

Subiram a Rua Maria Andrade e foram captando as atenções de locais e turistas, que captaram com os ‘smartphones’ o momento em que um dos maiores desfiles da CDU nos últimos tempos percorria as ruas.

No início da Rua da Graça estava João Oliveira, que se juntou no último troço do percurso, a segurar a primeira faixa com mais quatro jovens. Pelo caminho houve algumas buzinadelas de carros e o cortejo parou quatro vezes por breves instantes. O trânsito não foi cortado pela PSP, apesar de o partido ter dito que informou tanto a polícia como a autarquia de que iria realizar o desfile.

Os jovens acabaram por se concentrar em torno do Largo da Graça e a grande maioria ficou de pé, já que não havia cadeiras para todos.

Visivelmente contente, João Oliveira, que está a ser o rosto da campanha da CDU face à ausência do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, fez uma pergunta à plateia.

“Vamos ouvindo por aí tanta gente dizer que a CDU não tem jovens… Tenho de fazer uma pergunta. Há aqui algum jovem? Se houver aqui jovens digam lá: como é que a CDU avança?”, questionou, ouvindo de imediato a resposta em coro: “Com toda a confiança”.

O membro da comissão política do Comité Central do PCP e também líder da bancada comunista no parlamento discursou durante mais de meia hora, e entre ataques à direita e ao PS, deixou uma promessa aos jovens que estiveram presentes nesta ação de campanha.

“O apoio que derem agora à CDU, não é um apoio que cai em saco-roto. Não é um apoio que seja dado agora em nome de promessas da terra do leite e do mel”, sustentou.

No final do comício, “A Carvalhesa”, hino que finaliza sempre as ações de campanha eleitoral da CDU, levou alguns dos jovens que assistiram a dançar à moda da Festa do Avante!.

Pub