Tudo na vida tem um tempo e, este é o tempo de fazer uma pausa na publicação de textos de opinião e crónicas que tenho mantido neste espaço.

Fica em aberto, sem data anunciada, um eventual regresso pois não vou deixar de pensar e refletir, não vou deixar de ter opinião. Trata-se, tão-somente, de um interregno na publicação de textos na imprensa regional. Eu e, quiçá, os leitores estamos a necessitar de um afastamento crítico.

Ficam os meus agradecimentos ao público que acompanhou esta coluna e pelo qual nutro o maior respeito, Obrigado.

Obrigado pela leitura, mas também pelo retorno crítico e que se mostrou essencial para a diversidade dos assuntos sobre os quais escrevi e, sobretudo, por alguma evolução na forma como escrevo, se é que isso se verificou. Julgo que sim, mas não me cabe a mim fazer juízo em causa própria. Ao longo destes anos fui procurando melhorar a comunicação, tornando, pelo menos tentei, a forma de escrever mais apelativa sem aligeirar os conteúdos.

Segue-se um outro tempo que pretendo seja, um tempo apenas meu, ou pelo menos que me sobeje algum tempo. Sim, que me reste tempo pois, como sabem, o tempo nunca é inteiramente nosso e, por outro lado, ainda tenho por aí alguns compromissos públicos que vou manter e honrar por mais algum tempo.

Não há outra razão, para além da que ficou expressa, para este afastamento por tempo indeterminado. O tempo que se segue será dedicado à concretização de alguns projetos pessoais e irei dando conta da sua realização no meu blogue pessoal.

Quero, também, agradecer o acolhimento que me foi dispensado pelos responsáveis deste prestigiado título da imprensa regional, bem assim como a disponibilidade, que já me foi transmitida, para de novo me receberem quando chegar o tempo de retornar ao vosso convívio. Não é, como já tinha sido afirmado, uma despedida. Voltarei.

Então, Até já.

Partilha

Notícias relacionadas