PUB

O governo açoriano apresentou hoje o projeto de ampliação da aerogare da ilha do Corvo, orçada em cinco milhões de euros, prevista para arrancar no final de 2023, ficando concluída em menos de dois anos.

O projeto foi apresentado hoje durante uma cerimónia no pavilhão multiúsos do Corvo, numa sessão integrada na visita estatutária do Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) à mais pequena ilha do arquipélago.

A ampliação da aerogare do Corvo está prevista arrancar no último trimestre de 2023, tendo um prazo de execução de 20 meses após a consignação.

PUB

Em declarações aos jornalistas no final da apresentação, o líder do executivo dos Açores, José Manuel Bolieiro (PSD), defendeu que o Governo Regional está a “potenciar o Corvo para o futuro”, elogiando o projeto de “elevadíssima qualidade para o aeródromo” da ilha.

“Esta apresentação permite avaliar o projeto, que é de elevadíssima qualidade, desde logo pelo conforto que gera quer para quem chega, quer para quem parte, separando o que hoje não acontece: a partida da chegada”, salientou.

Bolieiro destacou ainda que o edifício, de dois pisos, vai estar “integrado em termos arquitetónicos” com a paisagem, prevendo-se ainda a construção de um bar e de instalações destinadas aos bombeiros.

Quando questionado, o social-democrata realçou que este projeto para a ampliação da aerogare do Corvo é da autoria do atual Governo Regional, que tomou posse em novembro de 2020.

“Este governo não espera acontecer. Faz acontecer. Estamos a afirmar a capacidade de projetar e depois de realizar”, vincou Bolieiro.

Em 22 de junho de 2020, o Governo dos Açores, então liderado pelo PS, revelou que o projeto para a ampliação do aeródromo do Corvo estava em fase de elaboração e que iria avançar em 2021.

O Corvo, com 17,21 quilómetros quadrados e menos de 400 habitantes, é a ilha mais pequena dos Açores.

Pub