“Acreditamos plenamente neste projeto e neste conceito. Tem corrido sempre de forma estrondosa para todos os artistas, o que nos dá uma grande motivação e confiança de que a música portuguesa está bem e recomenda-se”, disse esta sexta-feira, em Ponta Delgada, a vocalista dos Amor Electro, Marisa Liz.

O grupo está na ilha de São Miguel a promover a sua atuação de fevereiro no Coliseu Micaelense, garantindo um concerto de “entrega total” e foco sobretudo no mais recente disco de originais, mas “com um alinhamento pensado só para esta noite, ligeiramente mais romântica”.

Os Amor Electro editaram em 2018 o álbum “#4”, terceiro de originais e que sucedeu, cinco anos depois, ao álbum “(R)Evolução”.

Ponta Delgada, Guimarães, Santarém e Estarreja acolhem no próximo mês, pela primeira vez, concertos do festival Montepio Às Vezes O Amor, que à 5.ª edição chega a 17 cidades portuguesas.

De acordo com a organização, “mantêm-se as já tradicionais capitais do amor: Aveiro, Beja, Castelo Branco, Évora, Faro, Lagoa, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Vila do Conde”.

Em 2019, “os nomes convocados para aquecer os corações apaixonados com as suas emblemáticas e arrebatadoras canções” são, para além dos Amor Electro: Aurea, Cuca Roseta, David Fonseca, Diogo Piçarra, Herman José, HMB, João Pedro Pais, José Cid, Luísa Sobral, Mafalda Veiga, Miguel Araújo, Raquel Tavares, Sara Tavares, Tiago Bettencourt, The Gift e Xutos & Pontapés.

O Festival Às Vezes O Amor foi criado em 2015, congregando, na altura, oito cidades com concertos em simultâneo, com o objetivo de aumentar a oferta de espetáculos de música portuguesa fora do circuito de festivais de verão.