Pub

O Alojamento Local (AL) teve um impacto direto de 37,3 milhões de euros e indireto de 28,7 milhões na economia dos Açores em 2021, segundo um estudo divulgado pela associação do setor na região.

No documento, a que a agência Lusa teve acesso e que foi produzido pela consultora Fundo de Maneio, lê-se que os alojamentos locais tiveram um “impacto direto” em 2019 de cerca de 59,2 milhões de euros.

“Verifica-se uma queda abrupta em 2020, com os rendimentos a rondarem os 31,2 milhões de euros, e com uma recuperação em 2021, fixando o rendimento desse ano em 37,3 milhões de euros”, revela o estudo.

Os autores referem que o impacto económico direto do AL “assenta na receita gerada pelas unidades de estabelecimento”, enquanto o indireto abrange as receitas dos setores da restauração, aluguer de viaturas, transportes e outras atividades (como as de animação turística).

“Para os anos de 2020 e 2021 estimam-se impactos indiretos globais de 24,0 milhões de euros e 28,7 milhões de euros, respetivamente”, indica o documento.

Em 2019, o impacto indireto causado na economia dos Açores pelo AL fixou-se nos 45,6 milhões de euros: 12,5 milhões relacionados com a restauração; 11,1 milhões provenientes do aluguer de viaturas; 9,7 milhões afetos ao setor dos transportes; e 12,3 milhões de euros para outras atividades.

Segundo o estudo, o número de quartos disponíveis em unidades de alojamento local tem vindo a aumentar nos Açores desde 2019 (5.429 em 2019, 6.106 em 2020 e 7.230 em 2021).

“Assente nos pressupostos traçados para a estimativa do impacto indireto, assume-se que o multiplicador associado ao efeito induzido é de 0,72. Isto significa que por cada euro gasto por um hóspede de AL é gerado um incremento adicional de 0,72 euros na economia local”, aponta ainda o documento.

Face aos valores do impacto direto e indireto, calcula-se que o “efeito induzido” na economia dos Açores, por via do AL, foi de 47,5 milhões em 2021, 39,8 milhões em 2020 e 75,5 milhões em 2019.

O AL foi responsável por 1.647 postos de trabalho em 2021 nos Açores, número superior a 2020 (751), mas inferior a 2019 (2.461).

Com 1.689 unidades de alojamento, a ilha de São Miguel possui cerca de 55,5% dos AL dos Açores, setor que representa 16.671 camas em todo o arquipélago.

“O AL fomenta a economia em diversos vetores: quer através dos efeitos diretos e indiretos, originados na receita direta que os hóspedes do AL têm nos setores de atividade da região, quer através do seu efeito induzido”, lê-se no estudo.

No documento, aponta-se ainda que o AL foi das “poucas unidades de alojamento que não foi elegível a incentivos ao investimento” nos fundos comunitários para o período 2014-2021.

O estudo sobre a “Importância do Alojamento Local no enquadramento socioeconómico da Região Autónoma dos Açores” foi apresentado hoje pela Associação de Alojamento Local nos Açores, no Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, na Lagoa.

Pub