Pub

A dose de reforço da vacina contra a covid-19 está atualmente disponível para maiores de 50 anos nos Açores, mas os cidadãos convocados para as mesas de voto nas eleições legislativas antecipadas nacionais do próximo dia 30 de janeiro também poderão recebê-la.

Em comunicado de imprensa, a Unidade de Saúde de Ilha da Terceira (USIT) adiantou hoje que os centros de vacinação de Angra do Heroísmo e da Praia da Vitória “estarão disponíveis para vacinar estes cidadãos no próximo sábado, 15 de janeiro, entre as 10:00 e as 12:00”.

“Os cidadãos em causa devem ser portadores da respetiva convocatória para as mesas de voto”, acrescentou a USIT.

A ilha Terceira tem atualmente dois centros de vacinação abertos, um em Angra do Heroísmo, no pavilhão multiusos da Vinha Brava, e outro na Praia da Vitória, no pavilhão de artes marciais.

Nas restantes ilhas também deverá ser dada essa oportunidade aos cidadãos convocados para as mesas de voto, mas ainda não foi revelado quando e onde essa vacinação poderá ocorrer.

No continente português, os membros das mesas de voto e os funcionários das juntas de freguesia vão também poder ser vacinados com a dose de reforço contra a covid-19 no próximo sábado, sendo “convocados por SMS, através de agendamento central”, revelaram hoje os ministérios da Saúde e da Administração Interna, num comunicado conjunto.

Segundo dados do Governo da República, está previsto um total de 16.427 mesas de voto para estas eleições legislativas, das quais 2.606 no dia do voto antecipado em mobilidade.

As eleições legislativas decorrem em 30 de janeiro, mas os cidadãos recenseados podem votar antecipadamente, no dia 23 de janeiro, numa mesa de voto em mobilidade escolhida por si, desde que o requeiram, o que pode ser feito através do portal www.votoantecipado.mai.gov.pt, entre 16 e 20 de janeiro.

Já as pessoas em confinamento ou isolamento devido à pandemia de covid-19 e outros impedidos de se deslocar à assembleia de voto no dia da eleição, como utentes de lares ou presos, podem pedir (entre 20 e 23 de janeiro), a recolha do respetivo voto na morada onde se encontram a cumprir confinamento, o que ocorrerá em 25 e 26 de janeiro.

Caso o confinamento seja decretado posteriormente ao período de inscrição definido para o voto em confinamento, não foi ainda definida uma solução para que se exercer o voto.

A covid-19 provocou 5.511.146 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.203 pessoas e foram contabilizados 1.774.477 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países, sendo dominante em Portugal.​​​​​​​

Pub