PUB

Os Açores vão acolher na primeira quinzena de abril de 2018 uma das edições das jornadas transnacionais de trabalho do programa Margullar, projeto que envolve o património e turismo arqueológico subaquático na Macaronésia.

A candidatura açoriana foi hoje defendida pelo Diretor Regional da Cultura, Nuno Lopes, em Dakar, no Senegal, onde decorrem as jornadas sobre Arqueologia Subaquática – Metodologias e Perspetivas, no âmbito do programa Margullar.

Os participantes nestas jornadas oriundos das regiões espanholas de Canárias e Andaluzia, Cabo Verde, Açores, Madeira e do Senegal, que se fez representar ao mais alto nível ministerial, procuram relacionar os testemunhos existentes, no caso dos Açores, nomeadamente em Angra do Heroísmo com o património subaquático à volta da ilha Gorée e na frente mar de Dakar, locais onde se desenvolveu de sobremaneira o comércio negreiro esclavagista, iniciado pelos portugueses, que se prolongou por cerca de trezentos anos.

PUB

O projeto Margullar pretende vincular o binómio património e turismo, efetuando um trabalho de arqueologia subaquática de preservação e conservação do património marinho, para a sua posterior valorização e colocação ao serviço, tendo por objetivo melhorar o atrativo e a promoção do turismo de mergulho nas regiões e países participantes.

Com este projeto pretende-se que os turistas que praticam o mergulho, além de admirarem os preciosos fundos marinhos do Espaço de Cooperação Transnacional, se aproximem do património, da história e da cultura de cada uma das regiões envolvidas.

Desta forma, a partir da compilação dos dados arqueológicos nas zonas de trabalho identificadas, pretende-se valorizar tais bens, conseguindo desta forma uma gestão e proteção integral dos mesmos e, igualmente, comunicar e sensibilizar o público para o Património Arqueológico da Macaronésia, com vista à sua conservação e proteção.

Pub