Pub

O Diretor Regional do Ambiente apelou hoje ao “reforço da separação doméstica dos resíduos urbanos, com vista à sua valorização material e orgânica”, em complemento do “esforço de prevenção que está a ser feito em toda a Região, visando a redução da produção de resíduos, bem como da recuperação e reutilização de produtos e materiais”.

Para Hernâni Jorge, estes são “comportamentos essenciais para a redução da pressão sobre os recursos naturais e o fomento da economia circular”.

O Diretor Regional, que falava nos Paços do Concelho do Corvo, na apresentação da campanha ‘Missão Reciclar’, que será desenvolvida na próxima semana, em colaboração com a autarquia, destacou o papel do município neste processo e congratulou-se com o facto de a ilha do Corvo estar a caminhar para o quarto ano consecutivo de ‘aterro zero’, ou seja, em que será valorizada a totalidade dos seus resíduos urbanos.

A ‘Missão Reciclar’, para além da sensibilização para a separação dos resíduos urbanos, consiste na distribuição de ecopontos domésticos por todas as casas da ilha do Corvo, destinados à separação de resíduos de plástico, metal e papel ou cartão.

“A distribuição será feita porta a porta e acompanhada de um inquérito sobre as práticas de separação de resíduos, com vista à caraterização e melhor conhecimento da realidade na ilha do Corvo”, afirmou Hernâni Jorge.

O Diretor Regional destacou ainda a evolução significativa da quantidade de resíduos valorizados nos Açores, bem como a diminuição considerável da eliminação em aterro que se verificou nos últimos anos.

“Apesar da pandemia e da necessidade que existiu em algumas ilhas de encaminhar resíduos indiferenciados diretamente para eliminação, os dados acumulados até ao final de agosto mostram um aumento das quantidades de embalagens e resíduos de embalagens encaminhadas para reciclagem, comparativamente ao mesmo período do ano anterior”, revelou Hernâni Jorge.

No ano passado, os Açores valorizaram 55,2% dos resíduos urbanos produzidos na Região.

Pub