PUB

Os Açores ultrapassaram três milhões de dormidas em alojamentos turísticos, entre janeiro e novembro de 2022, um valor acima do registado no mesmo período em 2019, segundo dados divulgados hoje pelo Serviço Regional de Estatística (SREA).

“De janeiro a novembro, no conjunto dos estabelecimentos de alojamento turístico (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos, pousadas, unidades de turismo no espaço rural e unidades do alojamento local) da Região Autónoma dos Açores registaram-se 3.070.712 dormidas, valor superior em 66,1% ao registado em igual período de 2021”, refere o SREA, numa publicação divulgada na sua página da Internet.

Em comparação com os dados divulgados pelo SREA relativos ao período entre janeiro e novembro de 2019 (anterior à pandemia de covid-19), em que se contabilizaram cerca de 2,8 milhões de dormidas, houve um crescimento de 9,5%.

PUB

Segundo o SREA, o crescimento verificado entre 2021 e 2022 foi inferior ao registado em média em Portugal (89,4%).

No mês de novembro, os diferentes tipos de alojamento turístico nos Açores registaram 150.621 dormidas, “um acréscimo de 9,5% relativamente ao mesmo mês de 2021”.

Nesse mês, o número de dormidas de residentes em Portugal (76.613) superou o de residentes no estrangeiro (74.008), ainda que em comparação com o período homólogo se tenha registado uma quebra de 6% nos turistas nacionais e uma subida de 31,9% de estrangeiros.

Já no valor acumulado dos primeiros 11 meses do ano, os residentes fora do país destacaram-se com 1.876.660 dormidas, “superando o dobro do que foi registado em igual período do ano anterior” (152,1%).

Com 1.194.052 dormidas, os residentes em Portugal registaram uma subida menos acentuada (8,2%).

Até novembro de 2022, os estabelecimentos hoteleiros concentraram um maior número de dormidas (1,9 milhões), seguindo-se o alojamento local (1,1 milhões) e o turismo em espaço rural (85,8 mil).

Nos estabelecimentos hoteleiros, o crescimento face ao período homólogo foi de 66,5%. Os residentes no estrangeiro (cerca um milhão) aumentaram 163,9% (mais do dobro), enquanto os residentes no país (861 mil) registaram uma subida de 15,9%.

Os proveitos totais da hotelaria subiram 88,8%, com o rendimento médio por quarto utilizado a chegar aos 57,7 euros.

O crescimento de dormidas nos estabelecimentos hoteleiros ocorreu em todas as ilhas, com as maiores subidas a registarem-se na Terceira (82,2%), São Miguel (73,2%) e Corvo (62,0%).

No alojamento local, as dormidas aumentaram 65,9% nos primeiros 11 meses de 2022, com destaque para os residentes no estrangeiro (787,8 mil dormidas), que subiram 138,4% (mais do dobro).

Os turistas nacionais representaram cerca 316,5 mil dormidas, menos 5,6% do que no período homólogo.

Quanto ao turismo em espaço rural, registou um crescimento de 61,3% nas dormidas, entre janeiro e novembro, com um decréscimo de 36,5% de turistas nacionais (16,2 mil dormidas) e uma subida de 151,3% (mais do dobro) nos turistas estrangeiros (69,7 mil dormidas).

Pub