Marta Guerreiro, secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores
Pub

O Governo dos Açores mostrou-se satisfeito com a decisão do Reino Unido de incluir as regiões autónomas portuguesas nos corredores turísticos, apesar da exigência da realização de quarentena aquando do regresso.

“Em primeiro lugar manifestar satisfação pelo facto do Reino Unido reconhecer na região um destino que, pelo trabalho feito no combate à pandemia, consegue hoje ter resultados que permitem ser declarado como um destino seguro para férias”, declarou esta sexta-feira a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro, à margem da visita estatutária do Governo Regional à ilha do Pico.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico deixou de desaconselhar as viagens para a Madeira e Açores, juntamente com uma série de outros países, mas continua a advertir contra as visitas a Portugal continental.

Pub

Para Marta Guerreiro, a decisão resulta dos “sacrifícios” dos açorianos nos últimos meses e permite que os Açores sejam encarados como um “destino seguro”.

A governante assumiu, contudo, que a decisão não tem neste momento “efeitos práticos” porque os britânicos terão na mesma de realizar quarentena no regresso a casa após visitarem a região

“Neste momento, isto [a decisão do Reino Unido] não tem efeitos práticos no que diz respeito aos fluxos turísticos porque o país no seu todo, Portugal, continua a ter a restrição de quarentena para quem depois de Portugal chega ao Reino Unido”, apontou.

A secretária regional ressalvou que a decisão do Governo de Boris Johnson é uma “mensagem importante” para a “notoriedade da região”, mostrando-se confiante no fim das quarentenas impostas no regresso após visita ao arquipélago aquando das “próximas revisões”.

Segundo a governante, em 2019 visitaram os Açores cerca de 33 mil turistas oriundos do Reino Unido, que mantém três voos semanais para os Açores, dois para São Miguel e um para a Terceira, sendo este último uma “novidade que começou esta semana”:

O Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico mantinha desde meados de março um conselho contra “todas as viagens não essenciais em todo o mundo” devido à crise causada pelo novo coronavírus, embora continuem a circular aviões entre Portugal e o Reino Unido com serviços reduzidos.

Porém, hoje alterou este conselho para 33 países europeus, como Espanha, Alemanha, Bélgica ou Turquia, vários territórios ultramarinos britânicos e outros países como Austrália, Japão, Nova Zelândia ou Coreia do Sul.

A partir de 04 de julho, o conselho do Ministério contra todas as viagens internacionais não essenciais deixa de se aplicar à Madeira e Açores, tendo em conta a avaliação atual dos riscos de infeção com o coronavírus.

Os Açores têm atualmente cinco casos ativos de covid-19: quatro em São Miguel e um na Terceira.

No total, foram registados na região 152 casos, dos quais 132 recuperaram e 16 morreram.

Portugal contabiliza pelo menos 1.598 mortos associados à covid-19 em 43.156 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 522 mil mortos e infetou mais de 10,92 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Pub