“Durante o mês de maio chegarão mais 46.800 doses da Pfizer e durante o mês de junho estão previstas 52.650 doses também da Pfizer”, adiantou Berto Cabral, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Depois da ilha do Corvo, onde a vacinação abrangeu toda a população com mais de 16 anos, as ilhas de Santa Maria e Flores estão a uma dose de concluírem a primeira fase do plano de vacinação.

“As ilhas de Santa Maria e Flores já têm a totalidade da primeira fase de vacinação concluída, com pelo menos uma dose administrada. A ilha do Pico tem esta fase praticamente concluída. A ilha de São Jorge deverá terminar na próxima semana e nas próximas duas semanas a ilha Graciosa e o Faial”, adiantou o diretor regional da Saúde.

Até ao final do mês, também as ilhas Terceira e São Miguel, as duas mais populosas, deverão ter a primeira fase concluída.

“Será possível, com as doses que chegarão à região durante o mês de abril, administrar pelo menos uma dose a todos os açorianos da primeira fase da vacinação”, salientou Berto Cabral.

Os Açores receberam hoje 8.500 doses de vacinas da AstraZeneca, depois de na segunda-feira terem recebido 23.400 doses da Pfizer.

Ainda durante o mês de abril, está prevista a chegada de 17.550 doses da Pfizer e 10.000 doses da AstraZeneca.

De acordo com o portal de vacinação contra a covid-19 dos Açores, já foram administradas 56.725 doses na região a 39.003 pessoas, das quais 17.722 com duas doses.

Os Açores têm atualmente 186 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus que provoca a doença covid-19, dos quais 185 em São Miguel e um em Santa Maria.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados na região 4.324 casos, tendo ocorrido 4.000 recuperações e 30 óbitos. Saíram do arquipélago sem terem sido dadas como curadas 67 pessoas e 41 apresentaram comprovativo de cura anterior.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.890.054 mortos no mundo, resultantes de mais de 133 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.899 pessoas dos 825.633 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.