PUB

As nove ilhas dos Açores vão estar hoje sob aviso amarelo devido às previsões de precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada, vento e agitação marítima.

Segundo o ‘site’ do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para o grupo Ocidental (Flores e Corvo) o aviso amarelo de agitação marítima (ondas de sudoeste) está em vigor até às 00:00 de hoje e para o vento (direção de sudoeste) até às 18:00 deste domingo.

No grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria) o aviso amarelo por causa do vento (direção de sudoeste) vai vigorar até às 18:00 de hoje.

PUB

São Miguel e Santa Maria têm ainda ativos avisos amarelos para agitação marítima (ondas de sudoeste), precipitação e trovoada até às 21:00 de hoje.

Para o grupo central (Terceira, São Jorge, Pico, Graciosa e Faial) o alerta amarelo de agitação marítima (ondas de sudoeste) e precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada, está em vigor até às 18:00 de hoje.

O IPMA emitiu ainda para aquelas cinco ilhas aviso amarelo de vento (direção de sudoeste) até às 21:00.

No sábado, as ilhas do grupo Ocidental estiveram sob aviso vermelho de agitação marítima.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O mau tempo provocado pela passagem da depressão ‘Efrain’ pelo arquipélago já originou várias ocorrências, sobretudo relacionadas com quedas de árvores, danos de estruturas, inundações de vias e em habitações, derrocadas e transbordos de ribeiras nas ilhas de São Miguel, Terceira, Faial, São Jorge, Pico e Flores), segundo informou no sábado a Proteção Civil dos Açores.

Por causa das condições meteorológicas, o porto das Lajes das Flores vai permanecer encerrado e até que seja realizada “uma breve inspeção”, já que o local foi afetado pelo mau tempo, segundo disse hoje à Lusa a autoridade marítima.

O molhe do porto das Flores, o único porto comercial da ilha, ficou destruído na sequência da passagem do furacão Lorenzo, em outubro de 2019, originando na altura constrangimentos no abastecimento à população.

Pub