Acidente provoca duas vítimas mortais e 10 feridos na ilha Terceira

Um atropelamento numa procissão provocou hoje dois mortos, quatro feridos graves e seis ligeiros na freguesia das Quatro Ribeiras, na ilha Terceira, nos Açores.

O acidente ocorreu às 20:29 locais (mais um hora em Lisboa).

O condutor é um jovem que revelou ter ficado encandeado pelo sol.

A carrinha desgovernada embateu contra os participantes de uma prossição de velas em honra de Nossa Senhora de Fátima.

“Foi um acidente multivítimas, com o despiste de uma viatura durante uma procissão, que provocou um atropelamento múltiplo”, disse o secretário regional da Saúde dos Açores, Rui Luís, que tutela a Proteção Civil, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Segundo o governante, “dos quatro feridos graves, apenas um está em situação mais delicada”.”Foram assistidas 12 vítimas no total, sendo que duas já estavam cadáveres. São seis feridos ligeiros e quatro feridos graves”, avançou.

As duas vítimas mortais eram “pessoas idosas” e a vítima mais nova tem 18 anos.

Para o local do acidente, no concelho da Praia da Vitória, dirigiram-se 24 bombeiros e 11 veículos, além da equipa de Suporte Imediato de Vida, da PSP e do Serviço Municipal de Proteção Civil.

De acordo com Rui Luís, foi enviada uma equipa de apoio psicossocial para o local e outra para o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, em Angra do Heroísmo, que recebeu as vítimas.

Questionado sobre os motivos que terão provocado o acidente, o secretário regional da Saúde disse não ter informações, acrescentando que a PSP “é que está com o caso entre mãos situação”.

Condutor envolvido em acidente mortal nos Açores sem álcool ou drogas

O condutor envolvido no acidente no concelho da Praia da Vitória, na ilha Terceira, que causou dois mortos, não apresentou álcool ou estupefacientes nos testes realizados, disse  à Lusa fonte da PSP.

“O condutor tem 32 anos e dos testes realizados não houve deteção de álcool ou estupefacientes”, afirmou fonte da Direção Nacional da PSP, adiantando que o homem conduzia uma viatura ligeira de mercadorias.

Segundo a mesma fonte, a PSP está a investigar as circunstâncias do acidente.

O atropelamento na freguesia das Quatro Ribeiras provocou, além das duas vítimas mortais, duas mulheres de 68 e 84 anos, 13 feridos, informou o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.

O acidente ocorreu às 20h29 locais de terça-feira, quando decorria uma procissão das velas em honra de Nossa Senhora de Fátima.

Padre diz que procissão estava a chegar à igreja quando ocorreu acidente mortal nos Açores

O padre Carlos Cabral afirmou que a procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima estava a chegar à igreja das Quatro Ribeiras, na ilha Terceira, quando foi atingida por uma viatura “de forma inesperada”.

“Vínhamos a chegar à igreja quando, de forma inesperada, aparece uma carrinha vermelha que bate num grupo de pessoas que ia a acompanhar o andor de Nossa Senhora de Fátima. Naquele embate tão forte, duas senhoras morreram imediatamente”, disse em declarações à agência Lusa.

O padre Carlos Cabral explicou que um homem que ia ao seu lado na procissão das velas, que contava com cerca de meia centena de pessoas, acabou por sofrer ferimentos.

“Um senhor ia ao meu lado e foi apanhado pelo choque brutal da carrinha e caiu. Ficou ferido, mas foi uma coisa ligeira. Eu fiquei ileso porque vinha mais junto ao passeio”, explicou, referindo que viu o condutor com as mãos na cabeça depois do acidente.

A procissão, que se realizou terça-feira, estava prevista para 13 de maio, mas acabou por ser adiada para o dia seguinte.

“Todos os anos, a 13 de maio, a paróquia das Quatro Ribeiras, na Praia da Vitória, reúne-se nesse dia, pelas 20h30, para fazer a sua procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima. A procissão era para ter sido dia 13, mas como tinha serviço religioso numa outra paróquia, a procissão foi adiada para hoje [terça-feira]”, esclareceu o sacerdote.

O atropelamento provocou, além das duas vítimas mortais, duas mulheres de 68 e 84 anos, 13 feridos, informou o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.