“A segurança da população é mais importante do que uma décima a mais ou a menos nas contas”

Quatro anos depois de ter estado nas instalações do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, em Ponta Delgada, também enquanto candidato do BE à Assembleia da República, António Lima regressa ao mesmo local, com a mesma reivindicação: É urgente instalar radares meteorológicos nos Açores.

O candidato do BE lamenta que este investimento seja sucessivamente adiado e salienta que está em causa a segurança da população: “é mais importante a segurança das populações do que mais uma décima ou menos uma décima nas contas públicas”.

Por isso, António Lima exige rapidez neste processo, e não quer que o os próximos quatro anos sejam apenas para “marcar passo”, mas “para isso é preciso que haja uma maioria absoluta do PS”, porque atrasar os investimentos “foi uma opção do PS”.

O cabeça-de-lista do BE pelos Açores critica o facto de, no passado, o único radar meteorológico existente nos Açores, na ilha Terceira, ter sido propriedade dos EUA: “Foi um erro dependermos de uma infraestrutura de um país estangeiro para uma função tão importante, devíamos ter investido em radares há mais tempo”.

Agora, esta infraestrutura já pertence a Portugal, mas continua sem funcionar.

Além do investimento neste radar, na ilha Terceira, o BE tem no seu programa eleitoral a instalação de um radar nas Flores e um em São Miguel, de acordo com aquelas que são as necessidades avançadas por especialistas em meteorologia.