Pub

A violência pode ser definida como qualquer forma de uso intencional da força, coação, intimidação contra terceiro(s), ou toda a forma de ação intencional que, de algum modo, lese a integridade, direitos, a liberdade e as necessidades dessa/a pessoa/a. São, portanto, manifestações e ações de agressão, poder e controlo, de domínio e de tentativa de anular ou se impor sobre o/a outro/a.

A violência exercida contra as pessoas é um evidente problema social e de saúde, tanto pessoal como comunitária. Enquanto problema de saúde pessoal afeta todas as pessoas envolvidas, nomeadamente as vítimas, os seus filhos, o/a agressor/a e os familiares e amigos de ambos, na medida em que afecta um desenvolvimento salutar das relações entre si e perturba a qualidade de vida indispensável ao equilíbrio da saúde física e psicológica. Enquanto problema de saúde comunitária toca a paz social, as relações das pessoas, a qualidade de vida da família, a segurança, o rendimento escolar das crianças, a sua educação, igualdade de oportunidades, o desenvolvimento pessoal e social dos envolvidos, além de poder gerar dependências, assim como delinquências, pela reprodução do modelo da violência pelas crianças e adolescentes.

A prevenção e combate à violência têm sido uma preocupação constante nas políticas públicas, através da identificação de necessidades e definição de objetivos/ áreas estratégicas. A esse respeito, o V Plano de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género (2014-2017) afirmava que a informação, a sensibilização e a educação são fundamentais para prevenir a violência de género e a violência doméstica. Atuar na prevenção significa combater a violência na sua raiz e em toda a dimensão das suas causas, procurando desenvolver estratégias conducentes a uma sociedade assente na igualdade e livre de discriminação e violência.

Pub

Para que seja possível um combate efetivo à violência e a sua prevenção é fundamental investir na prestação de um apoio especializado e de qualidade a todas as vítimas de crime, bem como na criação de uma sociedade mais informada e consciente. A prestação de um apoio especializado e de qualidade a todas as vítimas de crime contribui para que as mesmas sejam munidas de informação adequada sobre os seus direitos e como poderão exercê-los levando a que, em muitos dos casos, o ciclo de violência seja quebrado e haja, por consequência, uma diminuição das situações de revitimação. Do mesmo modo, investir na informação e sensibilização de diferentes públicos é uma ação fundamental pois, desta forma, contribui-se para que sejam desmitificados e desconstruídos mitos e estereótipos que por um lado estão na origem da adoção de condutas agressivas e violentas e, por outro, na aceitação destas mesmas condutas. Ao investirmos na sensibilização, estamos a criar uma sociedade mais informada sobre o que é a violência, que tipos de crime e formas de violência existem, quais os seus direitos enquanto vítimas de crime e como poderão agir perante uma situação de vitimação. Logo, estaremos perante uma sociedade mais sensibilizada para a denúncia do crime e/ou pedido de ajuda.

A APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – é uma organização nacional, sem fins lucrativos, de solidariedade social que trabalha para que, em Portugal, o estatuto da vítima de crime seja plenamente reconhecido, valorizado e respeitado. Tem como missão apoiar as vítimas de crime, seus familiares e amigos, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais, e contribuir para o aperfeiçoamento das políticas públicas, sociais e privadas, centradas no estatuto da vítima.

A prossecução global e sustentada da missão da APAV impõe uma multiplicidade de atividades e projetos. Assim, a par da sua missão primeira, a de prestar apoio a todas as vítimas, seus familiares e amigos, a prevenção do crime e da violência tem sido, também, uma ação permanente da APAV. A APAV tem desenvolvido, ao longo da sua existência, um trabalho de informação/sensibilização do público em geral (e.g., crianças e jovens, adultos e pessoas idosas), sobre as mais diversas temáticas relacionadas com o crime e a violência, através da dinamização de ações nas escolas e nas comunidades sobre como prevenir os crimes e a violência, e como aumentar a segurança pessoal e da comunidade, diminuindo as oportunidades do crime acontecer mas, também, de como lidar com situações de vitimação. Este trabalho de sensibilização complementa o apoio direto às vítimas de crime e é fundamental para o cumprimento da missão social da APAV.

Paralelamente, a formação é uma aposta essencial da APAV. É seu propósito dotar os seus colaboradores/as e voluntários/as, de formação inicial e contínua que os qualifique para o desempenho das suas funções, assim como, com a sua larga experiência, contribuir para a formação de profissionais de outras instituições que lidam, direta ou indiretamente, com quem é vítima de crime para que, desta forma, se possa garantir que toda e qualquer pessoa que sofra um crime ou seja vítima de violência possa beneficiar de um apoio de qualidade, por parte de profissionais qualificados.

Para isso, a APAV conta com o Centro de Formação APAV, entidade acreditada pela DGERT e pela ISO 9001:2008, e com representatividade em cinco polos de formação – Porto, Centro, Sede/Lisboa, Algarve e Açores – abrangendo, assim, todo o território nacional. O Centro de Formação APAV tem como missão promover e desenvolver formação e outras atividades/eventos com qualidade para responder de forma eficiente e eficaz aos seus destinatários privilegiados, nomeadamente colaboradores internos, particulares, empresas e entidades externas dos sistemas de justiça, de educação, de solidariedade social e de saúde. Esta missão é garantida por uma equipa de colaboradores/as, competente e qualificada, integrada por formadores/as internos e externos.

A formação e o desenvolvimento de competências constituem, também, uma preocupação nuclear em relação aos sistemas de justiça e de polícia e aos sistemas de educação, de solidariedade social e de saúde no que diz respeito ao apoio e proteção das vítimas de crime. Nestes sentido, a APAV contribui para os objetivos daqueles sistemas, neste plano, por via da formação e treino, no sentido de garantir a respetiva adaptação à evolução da realidade e dos problemas da vitimação.

Assim, e como supramencionado, a Formação APAV, para além de dirigida a todos os/as colaboradores/as internos/as, voluntários, estagiários e utentes da rede nacional de Casas de Abrigo da APAV, é também destinada a públicos externos à instituição, sendo a mesma organizada em formação externa intra e interempresas. A formação externa intraempresas é a formação dirigida a qualquer pessoa individual que, por sua iniciativa, procura formação no âmbito da atividade da APAV para seu desenvolvimento pessoal e/ou profissional, formação esta que pressupõem um plano de formação/catálogo com divulgação externa.

Por sua vez, a formação externa interempresas é a formação dirigida a entidades/organizações externas ou a grupos específicos de profissionais que pretendam formação no âmbito da atividade da APAV, sendo esta formação criada à medida das necessidades do cliente e que garante um total ajustamento do formato, conteúdos, metodologias e técnicas pedagógicas.

A APAV diferencia a sua atividade formativa entre Formação Profissional e Outras Atividades/Eventos, de contexto não formal. A formação profissional da APAV compreende todos os cursos de educação-formação, no seu âmbito de competência e áreas de certificação, para maiores de 16 anos, excluindo o público de contexto escolar/universitário. As Outras Atividades/Eventos são as ações de sensibilização, palestras, comunicações, e outros eventos, dinamizados pela APAV.

Em termos de organização de formação, a APAV adapta-se às necessidades do seu público. Predominantemente pretende-se ministrar formação presencial ”em sala”. Não obstante, na era da globalização das tecnologias de informação, e considerando fundamental a modernização dos métodos de ensino, a Formação APAV tem vindo a apostar na formação online e já lançou uma plataforma de ensino à distância com formação em regime e-learning e b-learning.

A APAV assume-se, assim, como uma entidade de formação totalmente orientada para o cliente interno e externo e com condições e capacidade para ministrar ações em todo o território nacional. O Polo de Formação Açores da APAV, em específico, ministra formação e dinamiza outros eventos e atividades, em formato presencial e/ou e-learning, em toda a Região Autónoma dos Açores.

Para obter mais informações sobre a oferta formativa da APAV poderá consultar o site www.formacaoapav.pt. Em alternativa, e caso pretenda obter informações sobre eventos formativos específicos ou propostas de formação e/ou ações de informação/sensibilização, poderá contatar-nos para:

 

Polo de Formação dos Açores

Praceta Prof. Dr. José de Almeida Pavão Júnior, 22

9500 – 791 PONTA DELGADA

296 304 796 (048) | fax 296 304 799

formacao.acores@apav.pt

Pub