“A gestão dos resíduos nos Açores tem registado uma evolução enorme”

“Atualmente, nos Açores, a maior parte dos aterros municipais estão seladas, existem centros de processamento de resíduos nas várias ilhas e este tem sido um processo gradual”, afirmava Bárbara Chaves relativamente à declaração política que o PSD/A fez na manhã de quarta-feira, na Assembleia Legislativa dos Açores.

A deputada intervinha em relação às considerações feitas pela bancada social democrata que acusava o Governo dos Açores de má gestão dos Centros de Processamento de Resíduos, nomeadamente, das ilhas Graciosa e São Jorge, relembrando o PSD de que “não era o Governo dos Açores que tinha a competência de gerir resíduos”, mas que assumiu esta gestão porque “as Câmaras Municipais que tinham lixeiras, não conseguiam fazer essa gestão de forma a cumprir as regras impostas pela Comunidade Europeia.

E muitas dessas autarquias eram, curiosamente, do PSD, mas os senhores disso também já não se lembram”, disse Bárbara Chaves.

Relativamente aos casos dos Centros de Processamento de Resíduos dos Açores de São Jorge e Graciosa, a deputada do Grupo Parlamentar do Partido Socialista dos Açores afirmou que em São Jorge a taxa de reciclagem é “cerca de 85% do valor que entra em CPR” isto porque “as autarquias, até agora, não fizeram a sua parte ao nível da recolha seletiva e, portanto, se não fazem a recolha seletiva, os resíduos não entram nos sistemas, logo não podem ser reciclados”.

E quanto à Graciosa, “desde janeiro já foram exportados cerca de 40 contentores de resíduos recicláveis: foram 26 contentores de 20 pés e 16 de 40 pés, mais concretamente.

Estão a ser exportados resíduos, está a ser feita a recolha seletiva.

Da quantidade de resíduos que entram em CPR, na Graciosa, 86% foram enviados para reciclagem. E esses também são dados que devem ser realçados”, afirmou a deputada.

“Para nós, Partido Socialista, aquilo que nos importa dizer é que esse sistema tem sido gradual e a gestão dos resíduos tem tido uma evolução enorme.

Existem hoje, na Região, operadores de gestão de resíduos licenciados que gerem determinados tipos de resíduos.

O Partido Socialista e o Governo Regional vão continuar a trabalhar em prol da qualidade ambiental dos Açores”, concluiu Bárbara Chaves.