Vila Nova do Corvo

A secretária do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas dos Açores, Berta Cabral, confirmou hoje que “falta gasolina” na ilha do Corvo, mas não tem conhecimento “de particulares estarem a ter qualquer tipo de dificuldade de abastecimento”.

“O navio [que vai transportar combustível] está já a abastecer para seguir para a ilha do Corvo. Mas eu também devo dizer o seguinte: não faltam combustíveis, falta gasolina”, disse a governante aos jornalistas, nas Lajes do Pico, à margem da visita estatutária que o executivo açoriano (PSD/CDS_PP/PPM) está a realizar até quinta-feira na ilha do Pico.

Berta Cabral respondia ao deputado socialista eleito pelo Corvo, Lubélio Mendonça, que disse que a mais pequena ilha dos Açores está “sem combustível” por falha de abastecimento, “verificando-se também” roturas de ‘stocks’ em vários bens essenciais.

Em nota de imprensa, o partido refere que, “após contactos com vários corvinos, o secretário coordenador do PS/Corvo confirmou que não existe combustível disponível na ilha do Corvo junto do empresário que gere a única bomba de combustível da ilha”.

Segundo Berta Cabral, “não falta gasóleo para a produção de eletricidade, não falta gasóleo para outras maquinarias ou indústrias, ou o que seja, dentro da ilha” do Corvo.

E prosseguiu: “Apenas falta gasolina numa bomba [de combustíveis] que abasteceu dois navios das [empresas] marítimo turísticas, e [a empresa de combustíveis] devia ter tido um pouco mais de planeamento nesse abastecimento, porque o navio chega lá amanhã [quinta-feira] e, portanto, se tivesse umas horazinhas de diferença, já não chegávamos a esta situação.

A secretária do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas dos Açores acrescentou que “toda a gente sabe que há recursos na ilha, há reservas na ilha, as pessoas estão precavidas relativamente a esse tipo de situações, porque acontecem dado o isolamento da ilha do Corvo e a sua especificidade naquilo que diz respeito ao abastecimento”.

“E, portanto, nesse aspeto estamos tranquilos. Nem temos sequer nenhuma nota de particulares estarem a ter qualquer tipo de dificuldade de abastecimento”, concluiu.

O deputado Lubélio Mendonça disse que já vinha a alertar o Governo Regional que o tipo de navios escolhido para abastecimento à ilha do Corvo não era o mais adequado.

“Estão a verificar-se, repetidamente, diversas falhas no abastecimento, que estão a deixar o grupo Ocidental, e a ilha do Corvo em concreto, para trás”, afirmou o socialista.

O deputado diz que, “após fazer uma ronda pelos estabelecimentos comerciais da ilha”, verificou que “já faltam muitos bens essenciais”, uma situação que classificou como inaceitável.

“O navio Thor B está em manutenção, motivo pelo qual o abastecimento está a ser feito, transitoriamente, pelo navio Paulo da Gama, que deveria ter atracado no Corvo no passado sábado, mas que, chegados a quarta-feira, ainda não o fez”, referiu.

Os socialistas anunciaram que vão avançar com um requerimento no parlamento regional para procurar perceber “o que se passa, o que está na origem deste problema, como e quando será resolvido”.