Santos Silva “inteiramente disponível” para falar sobre lista transnacional europeia no parlamento

O ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou-se hoje “inteiramente disponível” para esclarecer a posição do Governo português sobre a criação de uma lista transnacional nas eleições europeias, como pediu o PSD, na audição parlamentar prevista para a próxima semana.

Numa mensagem enviada à Lusa, Augusto Santos Silva disse estar “inteiramente disponível para falar deste tema, na audição ordinária na comissão de Assuntos Europeus, que há muito tempo se encontra marcada” para a próxima semana.

Os deputados do PSD pediram, esta sexta-feira, uma audição parlamentar com carácter de urgência com o ministro, depois de os chefes de Estado e de Governo dos países do sul da União Europeia (UE) terem emitido uma declaração, na cimeira que decorreu em Roma na quarta-feira passada, na qual consta “uma posição de princípio (no sentido da criação de uma lista transnacional nas eleições europeias)”, como refere o requerimento.

Costa nega ter dado acordo a círculo transnacional nas eleições europeias

O secretário-geral do PS negou hoje ter dado o seu acordo à proposta do Presidente francês, Emmanuel Macron, para a criação de um círculo transnacional nas eleições europeias, contrapondo que os socialistas portugueses se têm oposto.

António Costa falava à entrada para a reunião da Comissão Nacional do PS, depois de confrontado com as acusações do eurodeputado social-democrata Paulo Rangel, segundo as quais o primeiro-ministro português, durante a recente cimeira dos países da Europa do sul, em Roma, terá dado o seu acordo a essa proposta do chefe de Estado francês.

De acordo com o primeiro-ministro, está a haver “especulação com base numa interpretação errada da declaração [escrita] elaborada no final da reunião dos países do sul da Europa”.