“O PSD/Açores vai apresentar uma iniciativa parlamentar para a criação deste plano de ação, com medidas na área social, que possam garantir o rendimento dos trabalhadores, mas que também possam assegurar a qualificação e a formação destes trabalhadores, no período em que estiverem sem emprego”, explicou o dirigente social-democrata, no encerramento das jornadas parlamentares do PSD, que decorreram na ilha do Pico.

No seu entender, o despedimento de 180 trabalhadores que laboravam na fábrica de conservas da Madalena, foi “a pior notícia para a economia do Pico”, situação que exige, no seu entender, que sejam encontradas formas de reduzir o impacto negativo que esta situação está a gerar.

“Além do plano social, entendemos que neste plano de ação também deve haver medidas no plano económico, porque há consequências indiretas deste despedimento coletivo para a ilha do Pico”, recordou o líder dos sociais-democratas açorianos, acrescentando que o setor do turismo, pela sua “pujança”, poderá ajudar a minimizar os impactos negativos desta situação.

Sem apontar destinatário para a crítica, Duarte Freitas disse também que compete aos “poderes públicos e aos políticos”, tomar medidas em situações como esta, considerando que “não é aceitável dizer-se que isto é um problema de uma empresa privada”.

“Todas estas pessoas estão, neste momento, em choque, por isso, os poderes públicos não podem lavar as suas mãos, não podem descartar, simplesmente, para cima das empresas!”, insistiu Duarte Freitas, acrescentando que, nesta altura, “os poderes políticos devem estar ao lado das pessoas”.

A COFACO anunciou esta semana o despedimento coletivo de cerca de 180 trabalhadores, que desempenham as suas funções na fábrica de conservas da Madalena do Pico, mas admite readmitir “a maioria” deles, após a construção de uma nova unidade fabril.