Marta Bulhões destaca relevância da teleassistência na segurança e combate à solidão da população idosa

A Diretora Regional da Solidariedade Social afirmou hoje, em Vila do Porto, que o Serviço de Teleassistência “faz toda a diferença” no sentimento de segurança do idoso e enquanto suporte psicológico.

“Faz toda a diferença, desde logo, porque o idoso tem outro sentimento de segurança”, salientou Marta Bulhões, apontando como exemplo a situação em que um utente, ao sofrer uma queda, carrega num botão e aciona imediatamente o sistema de emergência.

“A Cruz Vermelha só desliga a chamada quando tem a certeza de que chegou alguém ao local e que a pessoa está a receber auxílio”, acrescentou.

Este serviço telefónico de apoio promovido pelo Governo dos Açores visa garantir o socorro imediato em situações de risco ou emergência, funcionando 24 horas por dia, 365 dias por ano, através de um terminal, fixo ou móvel, que permite ao utente, através de um botão de emergência, ser localizado e identificado pelo ‘call-center’ da Cruz Vermelha Portuguesa, o qual faz a avaliação imediata da situação, dando a resposta mais adequada.

A Diretora Regional sublinhou também a importância da vertente de apoio psicológico à pessoa idosa e/ou dependente, recordando que, através deste serviço, “pelo menos uma vez por semana e, dependendo da situação de cada pessoa, poderá até ser mais do que uma vez por semana, há um contacto da Cruz Vermelha estabelecido por psicólogos”.

As candidaturas estão abertas durante todo o ano, destinando-se a residentes nos Açores, com idade igual ou superior a 65 anos, e a utentes dependentes que cumpram os requisitos previstos no regulamento.

Devem ser formalizadas junto dos serviços locais do Instituto da Segurança Social dos Açores, sendo a informação necessária à candidatura também disponibilizada no endereço eletrónico http://www.azores.gov.pt/Portal/pt/entidades/srss-drss/livres/Serviço+Teleassistência.htm.

“É interessante verificar que há sempre alguma resistência em aderir ao serviço mas, depois de aderirem, conseguem ver inúmeras vantagens de o ter e acabam até por passar a palavra a outras pessoas e fazer a melhor publicidade que se pode ter de um serviço destes”, revelou Marta Bulhões.