A poucos dias do pico de viagens da época natalícia, os passageiros do aeroporto internacional de Atlanta Hartsfield-Jackson ficou “às escuras” depois de as luzes se terem apagado repentinamente pelas 13:00 de domingo (18:00 em Lisboa).

Horas depois do apagão, as autoridades anunciaram que a energia elétrica iria ser reposta por volta das 00:00 (05:00 de hoje em Lisboa).

O corte de eletricidade levou à suspensão de todas as partidas, com as chegadas a serem travadas nos seus pontos de origem. Os voos internacionais foram encaminhados para outros locais, indicaram as autoridades, citadas pela AP.

A Delta, que tem o maior número de operações em Atlanta, foi gravemente atingida pela falha de energia. Ao final da tarde de domingo, a transportadora aérea tinha cancelado quase todos os 800 voos previstos para domingo e outros 250 para segunda-feira, quase metade deles em Atlanta, de acordo com o programa informático de localização de aviões FlightAware.com.

Robert Mann, um consultor da área da aviação e antigo executivo da American Airlines, afirmou que muito provavelmente vai ser preciso esperar até terça-feira para que as operações da Delta em Atlanta voltem ao normal, enquanto os passageiros podem ter que esperar quase toda a semana, dado que não há muitos lugares disponíveis em outros voos na semana que antecede o Natal.

“Amanhã [hoje] vai ser um dia longo e difícil para toda a gente”, observou, citado pela agência de notícias norte-americana.

Segundo o mesmo responsável, há, porém, uma boa notícia: a Delta tem mais aviões sobressalentes e tripulações disponíveis em Atlanta do que em qualquer outro lugar, o que pode ajudar a companhia aérea a recuperar da atual situação.

No entanto, quando os aviões em Atlanta foram obrigados a permanecer em terra por mais do que um dia na passada primavera, a Delta demorou cinco dias – e cerca de 4.000 voos cancelados – a restaurar totalmente a atividade.

Apesar de a Delta ter sido a mais atingida pelo apagão de domingo, outras companhias aéreas também cancelaram os voos que tinham previsto, como a American Airlines, que anulou 24 partidas e 24 chegadas, indicou o porta-voz da empresa Ross Feinstein.

A transportadora também teve que desviar três voos que tinham Atlanta como destino na sequência da falha de energia, os quais foram direcionados para Dallas, Nashville ou enviados de volta para Filadélfia.

Também a Southwest Airlines disse à AP que cerca de 70 voos dos 120 com partida marcada de Atlanta neste domingo foram cancelados.

A Administração de Aviação Civil dos Estados Unidos (FAA na sigla em inglês) informou que a torre de controlo do aeroporto podia operar normalmente, mas que os voos foram afetados porque o equipamento nos terminais do aeroporto não estava a funcionar.

Um porta-voz da companhia elétrica do estado norte-americano da Geórgia, onde se localiza a cidade de Atlanta, informou que a empresa estava a trabalhar para encontrar a causa da falha de energia e restaurar o fornecimento, tendo adiantado, posteriormente, a possibilidade de o apagão ter sido causado por um incêndio numa instalação elétrica subterrânea.

Não há registo de falhas de energia no exterior do aeroporto. A elétrica indicou que existem “muitos sistemas redundantes no local” para garantir o fornecimento de energia ao aeroporto e que falhas deste tipo no aeroporto “são muito raras”.

O aeroporto de Atlanta, que recebe 104 milhões de passageiros por ano, é o mais movimentado do mundo, uma distinção que mantém desde 1998.

Uma média de 275 mil passageiros passam pelo aeroporto Hartsfield-Jackson diariamente, referiu a AP, que acrescentou que este aeroporto internacional tem um tráfego diário de 2.500 partidas e chegadas.