Há um português entre os mortos na colisão entre autocarro e comboio em França

Um cidadão português está entre as vítimas mortais da colisão entre um autocarro e um comboio, na quinta-feira, no sudoeste de França, disse à Lusa fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades.

O acidente, que provocou pelo menos quatro mortos e 24 feridos, ocorreu cerca das 15:00 (hora de Lisboa) de quinta-feira numa passagem de nível perto de Millas, nos Pirinéus, junto à fronteira com Espanha. Millas fica a cerca de 15 quilómetros de Perpignan. O autocarro escolar atravessou a passagem de nível 25. Atrás dele, um segundo autocarro estava prestes a arrancar.

O comboio regional que chocou com o autocarro transportava 25 passageiros.

A empresa ferroviária francesa SNCF disse na quinta-feira que “de acordo com testemunhas, a passagem de nível funcionou normalmente, mas obviamente a informação deve ser confirmada pela investigação”.

Trata-se de um cruzamento de nível “clássico”, com sinalização automática e dois portões, que “não foi considerado particularmente perigoso”, considerou a companhia.

Esta colisão foi um dos acidentes mais graves com transporte de crianças ocorridos desde a tragédia de Beaune (leste) em 1982, que provocou 53 mortos, incluindo 44 crianças, e o primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, visitou o local na noite de quinta-feira com vários membros do governo.

A identificação das vítimas está completa e as famílias já foram informadas, anunciaram as autoridades francesas, explicando que não foi possível fazer a totalidade das identificações na quinta-feira por causa da violência choque.

Uma investigação por “homicídio e lesões involuntárias” foi aberta pela justiça e diversos magistrados deslocaram-se para o local da tragédia.

Hoje de manhã, o colégio local reabriu para permitir que os alunos começassem a fazer o luto.

Uma unidade médico-psicológica composta por cerca de 60 pessoas foi criada para receber os alunos.

Notícias relacionadas