Governo dos Açores não abdica da defesa do reforço orçamental do POSEI

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas reafirmou, em São Miguel, que o Governo dos Açores não abdica da defesa do reforço orçamental do POSEI, apelando a todos os agentes do setor para que tenham um “discurso alinhado” em defesa do mesmo objetivo.

“O Governo, a Federação Agrícola e as associações têm defendido um reforço de verbas para o POSEI. Não podemos ter, por outro lado, outros agentes, com responsabilidade política, a defender a manutenção do envelope financeiro, que é muito diferente de reforço”, afirmou João Ponte, acrescentando que, “se os Açores conseguirem o mesmo envelope financeiro, saberá a pouco para o setor”.

O titular da pasta da Agricultura falava sexta-feira numa sessão de esclarecimento sobre as alterações do POSEI 2018, promovida pela Associação de Jovens Agricultores Micaelenses, na Cooperativa Bom Pastor, em Ponta Delgada.

Para João Ponte, é fundamental que o Governo Regional, os deputados na Assembleia Legislativa, na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, bem como a Federação Agrícola e as associações tenham todos “o mesmo discurso, alinhado em defesa dos interesses da agricultura açoriana”.

O Secretário Regional frisou que o POSEI é um programa extremamente importante para os Açores, dado que representa um envelope financeiro superior a 70 milhões de euros só de verbas comunitárias.

Na sequência do aumento da produção registado nos últimos anos na Região, João Ponte salientou que tem sido necessário aplicar rateios aquando da distribuição das ajudas, reiterando que até 2020 não será possível haver um reforço das verbas comunitárias do POSEI.

“Nas ajudas que foram pagas em dezembro continuamos a registar rateios. No caso do prémio à vaca leiteira foi de 6,8%, às arvenses foi 11% e a nossa estimativa em relação ao prémio ao abate em 2017 é que não será superior a 13%, quando em 2016 foi 18,8%”, adiantou o governante, acrescentando que o Executivo conta pagar até abril a ajuda regional ao prémio ao abate, que totaliza 1,4 milhões de euros.

João Ponte indicou ainda que “ocorreram alterações significativas” no POSEI 2018, e houve “uma evolução muito positiva e que favorece a agricultura”, que resultaram também dos contributos dos parceiros do setor, nomeadamente a Federação Agrícola dos Açores.