‘Velhinho de barbas’ perfeito é contratado com meses de antecedência

Os Pais Natais abundam um pouco por toda a parte durante o mês de dezembro, mas quem quer contratar um tem de o fazer com alguns meses de antecedência, tal é a procura pelo ‘velhinho de barbas brancas’ perfeito.

Em declarações à Lusa, Cristina Paixão, do grupo Spirit (que se apresenta como agência de entretenimento para marcas e produção de eventos), explicou que este ano a empresa teve vários pedidos e conseguiu espalhar pelo país 35 Pais Natais, maioritariamente em centros comerciais e câmaras municipais.

“Em relação à antecedência que nos pedem, os centros comerciais preparam esta época especial (decoração e eventos de Natal) desde cedo, entre março e agosto. Com as câmaras municipais, este ano, devido às eleições em outubro, foi um pouco mais complicado gerir disponibilidades, pois foi mais em cima da hora”, explicou.

Segundo a empresa, há mais de 15 anos a trabalhar com iniciativas de Natal, o recrutamento dos figurantes não é fácil, já que todos os clientes procuram alguém com “semelhanças físicas ao verdadeiro Pai Natal: barbas verdadeiras, olhos claros, que sejam gordinhos e velhinhos”.

Contudo, explicou Cristina Paixão, não são só os traços físicos que são importantes para a personagem. Há que ter atenção ao perfil e à imagem, que “devem ser muito cuidados, contratando promotores que realmente transpareçam esta personagem carismática”.

Por isso, a Spirit já tem alguns animadores em exclusivo com as características necessárias, ou seja, “cuidam das suas barbas ao longo do ano para que em novembro e dezembro estejam impecáveis”.

Quanto à personalidade, apontou, é necessário que o Pai Natal seja “simpático, alegre, afável, com jeito para crianças, algum jeito para ser teatral sem falsidade, com sensibilidade”.

Também Carla Ferreira, da empresa AM – The Experience Group, que recruta o ‘velhinho de barbas brancas’ sobretudo para centros comerciais, avançou à Lusa que os clientes pedem um Pai Natal “responsável, educado, de bom trato, que goste de crianças e que tenha o espírito” da figura.

“Este ano temos sete Pais Natal em ‘shoppings’ de Braga, Guimarães, Porto, Lisboa e Portimão, cujas idades rondam os 40 e 70 anos”, contou, lembrando que os pedidos de recrutamento surgiram nos últimos dois meses.

Notícias relacionadas