CTT vão reduzir 800 pessoas nas operações em três anos

Os CTT preveem reduzir cerca de 800 pessoas nas operações da empresa ao longo de três anos, devido à queda do tráfego do correio, de acordo com o Plano de Transformação Operacional hoje divulgado.

Este plano de reestruturação, que inclui a redução das remunerações da administração, estima “uma potencial redução de cerca de 800 ETI [equivalente a tempo inteiro] nas operações ao longo de três anos, em consequência da queda do tráfego do correio, de um total de 6.700 efetivos”, dos quais 6.200 efetivos e perto de 500 contratados a termo, referem os CTT em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Os gastos totais estimados, não recorrentes, são de 25 milhões de euros.

Plano dos CTT prevê corte 25% da remuneração dos presidentes

O Plano de Transformação Operacional dos CTT prevê a redução de 25% da remuneração fixa do presidente do Conselho de Administração, António Gomes Mota, e do presidente executivo, Francisco de Lacerda, anunciaram hoje os Correios.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT – Correios de Portugal adiantam que está prevista a redução de 15% da remuneração fixa para os restantes membros executivos e não executivos do Conselho de Administração em 2018, face aos níveis atuais.

“Não haverá lugar a remuneração variável para a Comissão Executiva referente a 2018, nem em 2017”, afirmam os CTT, referindo que também se aplica a “limitação dos aumentos salariais não obrigatórios para os colaboradores” no próximo ano

Notícias relacionadas