Câmara de Vila do Porto com Orçamento de 8,4 ME para 2018

A Câmara de Vila do Porto, nos Açores, aprovou hoje por maioria o Orçamento para 2018, no valor 8,4 milhões de euros, menos 900 mil euros do que o deste ano, disse à Lusa o presidente do município.

“Temos um orçamento possível com as receitas que um município da nossa dimensão tem ao seu alcance, que são bastante reduzidas de uma forma geral, e onde acrescentamos os fundos [comunitários] que inflacionam o orçamento e que têm a ver com as obras que serão candidatas” ao Programa Operacional 2020″, afirmou Carlos Rodrigues, social-democrata reeleito para um terceiro mandato nas autárquicas de 01 de outubro.

Segundo o autarca, está previsto um investimento de 3,5 milhões de euros em obras prioritárias para o concelho, único da ilha de Santa Maria, do grupo oriental do arquipélago com cerca de 5.700 habitantes.

“Temos uma obra com alguma relevância na escola do 1.º ciclo de Vila do Porto, no valor de 350 mil euros, onde vamos tentar unir os três pavilhões existentes com um corredor coberto, quer em termos de teto, quer de laterais, e depois todo o melhoramento do recinto desportivo e da área exterior”, explicou.

O executivo, onde o PSD tem quatro dos cinco mandatos, quer, também, “avançar com o estudo de prospeção” para efetuar “alguns furos” para abastecimento de água na freguesia de Santo Espírito.

“É uma zona muito crítica, onde temos sempre problemas”, referiu, adiantando que o objetivo é a construção de um ou mais reservatórios.

O presidente da Câmara de Vila do Porto revelou ainda que o Orçamento contempla uma “percentagem significativa de apoio às juntas de freguesia”, que ronda os “270 mil euros por ano para as cinco juntas de freguesia”, além de apoios para entidades desportivas e eventos de maior dimensão na ilha.

“Mantemos o apoio às associações, clubes desportivos e aos eventos principais da ilha, festivais que consideramos terem um grande retorno para a nossa economia”, justificou.

Carlos Rodrigues pretende ainda manter “os apoios à juventude”, através de uma verba de 24 mil euros para “bolsas de estudo”, e a nível social prosseguir com “os apoios aos mais idosos” nos medicamentos e mobilidade.

O Orçamento foi aprovado com o voto contra do vereador do PS.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.