“A resolução dos problemas relacionados com a pobreza nos Açores tem merecido uma abordagem estrutural, rigorosa e transparente, e, ao contrário do que afirma o PSD, registaram e registam um assinalável sucesso ao longo das governações do PS nos Açores”, defendem os socialistas em nota enviada esta tarde às redações.

O PS considera que o PSD “revela uma hipocrisia sem limites” nesta matéria “ao esquecer, propositadamente, que o percurso de melhoria dos indicadores relacionados com a pobreza nos Açores sofreu um enorme retrocesso por via da verdadeira calamidade social que representou o Governo da República” de PSD e CDS-PP, liderado por Pedro Passos Coelho.

Na quarta-feira, o PSD/Açores tinha sublinhado que a ilha de São Miguel concentra grande parte dos apoios sociais nos Açores, defendendo que tais indicadores representam “os falhanços do Governo Regional presidido por Vasco Cordeiro”, do PS.

São Miguel, a maior ilha da região, concentra 77% dos beneficiários de rendimento social de inserção e 73% dos beneficiários do complemento solidário para idosos, sustenta o PSD em nota de imprensa, lembrando que tais números “têm vindo a aumentar desde 2006, em contrapartida com as outras ilhas, onde esses dados marcam um caminho inverso”.

Na terça-feira, a bancada do PS na Assembleia Legislativa dos Açores mostrou-se confiante de que o Plano de Combate à Pobreza e Exclusão Social nos Açores, apresentado recentemente pelo Governo Regional (PS), vai permitir reduzir a pobreza nas ilhas.

O plano será debatido este mês no plenário do parlamento açoriano a decorrer na Horta, ilha do Faial.

Para o PSD, o executivo regional teima em “esconder a realidade, preocupando-se com políticas pontuais de cosmética e não indo ao fundo dos problemas”.